Enquanto espera Bustos para o Gre-Nal, Medina tenta corrigir erros do Inter

Tudo indica que o Inter de Medina mudará para o Gre-Nal. Afinal, a campanha pífia no Gauchão, com derrotas feias, acendeu o sinal de alerta em todo o clube. O departamento de futebol corre risco e a comissão técnica também, em caso de insucesso no Estadual.

A primeira medida será a de (tentar) corrigir as extremas. Não de ataque, como quer o treinador, mas as de defesa. As duas laterais de Inter têm sido um convite ao prazer dos adversários. Os três gols do Zequinha, por exemplo, surgiram por jogadas pelos lados, duas pela esquerda, uma pela direita.

A responsabilidade não é somente dos laterais, frágeis na marcação, mas também da falta de cobertura de volantes e de zagueiros. O sistema defensivo do Inter voltou a entrar em colapso. Mesmo que o argentino Fabrício Bustos possa estrear na lateral direita (ainda não tem condição legal), ele precisará de cobertura. Na esquerda, não será surpresa se Moisés retornar ao time.

O técnico Alexander Medina poderá reforçar o setor, com o retorno de Gabriel ao time e, quem sabe, até mesmo com o recuo de Edenilson para a segunda função, a quem ele no momento diz considerar “extrema”, já que Marrony ainda não chegou, a fim de melhorar a saída de bola e de dar maior proteção aos laterais.

“Evidentemente que não estamos satisfeitos, mas não com a comissão, e sim com o trabalho como um todo, que tem responsabilidade, inclusive, nossa como dirigente”, disse o presidente do Inter, Alessandro Barcellos, que vem perdendo boa parte da simpatia do torcedor, devido aos erros de avaliação no futebol.

O Gre-Nal arruma casa (ou desarruma), já dizia Ibsen Pinheiro. E o Inter está precisando de uma boa mexida, da sala aos dormitórios.

Foto: Ricardo Duarte/Divulgação Inter

Compartilhe:

Comentários