Como o Inter arrecadou R$ 85 milhões para os cofres do clube em pouco mais de um mês

Na situação financeira que o Inter se encontra, qualquer dinheirinho que entra nos cofres do clube pode ser considerado uma fortuna. Acontece que em pouco mais de um mês, o Inter praticamente bateu uma das metas financeiras do exercício de 2021: a venda de atletas.

A previsão da atual gestão era arrecadar R$ 90 milhões em negociações. Praxedes, Vinícius Tobias, Peglow, Léo Borges e parte dos direitos de Charles praticamente garantiram estas cifras na temporada Colorada.

Abaixo, esmiuço os números de cada transação. Considerando, claro, valores brutos. Quando forem ao resultado do exercício, saberemos os valores líquidos. De qualquer forma, é o bruto – sem a comissão de empresários e outros intermediários – que conta para o balanço:

PRAXEDES: R$ 33 milhões pagos pelo Red Bull Bragantino. Inter tinha 60% dos direitos do meio-campo, que foram repassados à equipe paulista.

VINICIUS TOBIAS: R$ 44,5 milhões (€ 7,2 milhões). O lateral-direito viaja à Ucrânia para ser reforço do Shakhtar Donetsk somente em 2022, quando completa 18 anos. Clube ainda mantém 20% dos direitos e, por gatilhos de desempenho, pode faturar mais R$ 11,2 milhões.

PEGLOW e LÉO BORGES: o meia e o lateral-esquerdo foram emprestados para o Porto B por R$ 3,7 milhões (€ 600 mil). Com passe fixado, devem render mais alguns milhões ao clube em um futuro breve.

CHARLES: o volante vendido ao Ceará em 2019 acabou se transferindo ao FC Midtjylland, da Dinamarca no final de junho. O Inter manteve 50% dos direitos do jogador e deve receber na casa dos R$ 3 milhões pelo negócio.

No Entre Vozes desta segunda-feira nós esmiuçamos ainda mais essa questão das vendas de jogadores no Inter, além de falarmos de novas partidas e chegadas. Perdeu? Só clicar no play abaixo:

Compartilhe:

Comentários