“Áudio da crise” revela planos do Inter para as saídas de Boschilia, Dourado, Cuesta e Patrick

De repente… uma crise. Quando tudo parecia se encaminhar para um final de ano de frustrações e de baixas expectativas, um áudio vazado do preparador físico Paulo paixão colocou lenha na fogueira colorada – e levou o campeão do mundo a pedir demissão do clube.

No áudio vazado por um amigo de Paixão, a conversa privada acabou se tornando pública. E, nela, há verdades que talvez pudessem ser ditas ao final da temporada. Mas… acabaram se tornando públicas nesta segunda-feira calorenta.

“O Diego olha pra trás, pro banco, é só enxerga garoto. Tem o Boschilia, enganador, que não é mais garoto. Mas o resto é tudo garoto. Time vai ter de contratar se quiser fazer alguma coisa pro ano que vem”, aponta o áudio.

E segue: “E trocar umas peças, que estão com muito tempo de clube. Faz uma permuta. Patrick com não sei quem. Dourado com não sei quem. Cuesta… é muito tempo. Vestiário tem de renovar…”.

Pois este é, sim, o plano do Inter para 2022: tentar trocar ou negociar Dourado e Patrick. Com relação a Cuesta, a renovação (em março) segue incerta. Já Boschilia, dificilmente permanecerá. Assim, o Inter daria início a uma renovação do vestiário. Os palmeirenses Felipe Melo e Luiz Adriano são nomes muito cotados no Beira-Rio, bem como o retorno do lateral-direito Rodinei – Saravia não vai ficar.

Mais tarde, Boschilia foi ao Twitter responder a Paixão. Publicou o meia:

Hoje chegou a mim um áudio em que meu nome é citado, então achei que era importante me posicionar. Primeiramente quero dizer que discordo do teor do áudio. Nunca “enganei” ninguém na minha carreira, por onde passei.

Quero deixar bem claro também que, apesar de ter passado por um ano muito difícil, com uma recuperação de lesão muito complicada, nunca deixei de trabalhar e respeitar a gigante camisa que visto. Todos no clube sabem o profissional que eu sou e o quanto eu trabalho para estar no meu melhor.

Minha família vive cada dor comigo, cada dia ruim… Eles sabem o quanto eu me importo e o quanto eu me cobro para ser o melhor possível todos os dias. O quanto eu gosto da minha profissão, o quanto eu gosto de vestir a camisa do Inter. Infelizmente, nesta temporada ainda não consegui ajudar da forma que eu gostaria. Mas estou sempre me dedicando ao máximo para jogar e atingir meu melhor nível sempre que eu entro em campo. Obrigado!

O 2022 do Inter já começou. De maneira assolada, mas começou.

Foto: Divulgação Inter/Ricardo Duarte

Compartilhe:

Comentários